Publicado em Leitura: 7 min.

Como É Feito Um Laudo De Instalações Elétricas

O laudo de instalações é um documento que deve ser renovado todos os anos.

Durante uma prospecção ativa, tivemos a oportunidade de agendar uma reunião com o responsável pelo condomínio Jardim Trindade. Por meio desta, foi possível identificar que o cliente estava insatisfeito com a situação das instalações elétricas da edificação. Logo, foi oferecido um diagnóstico para que pudéssemos nos aprofundar mais nos problemas do cliente.

No diagnóstico, ocorre uma inspeção visual das instalações elétricas do prédio como transformador, quadro de disjuntores e sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA). Através dessa inspeção superficial foi identificado que existiam problemas no SPDA e nas instalações elétricas. Portanto, foi proposto um laudo de SPDA e um de Instalações Elétricas.

O laudo de Instalações consiste em uma inspeção e avaliação da situação em que as instalações elétricas se encontram. Para isso, utilizou-se de inspeção visual completa das áreas comuns e dos painéis, termografia e análise de correntes.

Para a inspeção de áreas comuns, ocorre a abertura de todos os quadros de distribuição e medição. Verifica-se se há alguma inconformidade com a norma, como troca de disjuntores por algum de maior capacidade de corrente, isolamentos inadequados ou corroídos por aquecimento, identificação de circuitos (às vezes sem identificação ou identificação em desacordo com o diagrama unifilar), conexões indevidas, barramento de equipotencialização (o “terra”), alimentação inadequada dos disjuntores, fixação dos quadros de medição e também a não utilização dos dispositivos de proteção (Dispositivo de proteção contra surtos e Disjuntor Diferencial Residual). Um exemplo de conexão indevida em um quadro de distribuição é esse:

Essa conexão é chamada de jumper, que consiste na alimentação de um disjuntor a partir de outro. É uma inconformidade com a norma (ABNT NBR 5410), pois todos os disjuntores devem ser exclusivamente alimentados por barramentos de cobre ou tipo pente.

Além da inspeção visual, é realizada a termografia dos quadros, isto é, fotografias térmicas que indicam a temperatura dos componentes, como disjuntores e condutores, de maneira não invasiva. O ensaio termográfico torna a identificação do local do problema mais simples, devido ao contraste que o aquecimento explicita na imagem.

Um exemplo disso é esse disjuntor que, no momento da foto, apresentou temperatura elevada em relação às outras fases. Ao lado, encontra-se a foto comum do mesmo disjuntor, e pode-se observar que não poderia ser possível identificar o aquecimento apenas por ela.

            Nesse caso, o aquecimento pode indicar sobrecorrente, desbalanceamento de fases ou carga usual, que não ultrapassa o limite do disjuntor nem do condutor, mas está sendo mais usada do que as outras fases, como um chuveiro ligado ou condicionador de ar.

            Dessa maneira, para saber o que o aquecimento realmente significa, deve-se fazer uma análise de corrente. Para isso, usa-se um alicate amperímetro. Esse alicate mede a corrente que passa pelo condutor. Caso a corrente esteja abaixo da capacidade do disjuntor, o aquecimento indica carga usual, que não é prejudicial às instalações do edifício.

Outra justificativa pode ser apontada, caso as correntes das três fases apresentarem uma discrepância muito grande, por exemplo, a primeira fase medir 10 ampères, a segunda 40 ampères e a terceira 15 ampères, isso é característico de um desbalanceamento de fases. A medição é feita da seguinte forma: as garras do alicate envolvem o condutor a ser medido e é, então, fechada, logo o aparelho fornece a corrente que passa pelo condutor.

Com base nessas análises e na norma ABNT NBR 5410, o laudo aponta os erros e indica o que deve ser feito sobre isso, como troca de condutores/disjuntores, balanceamento de fases, padronização de cores/identificação dos circuitos ou atualização de componentes antigos.

Após a finalização do laudo, esse foi apresentado ao cliente. Isso permite que o cliente conheça os processos da empresa, bem como ter maior entendimento sobre as inconformidades que foram encontradas e o que deverá ser corrigido no condomínio. Além de possibilitar o responsável a tirar todas as suas dúvidas.

Assim é feito um laudo de instalações elétricas pela C2E, uma empresa que visa a segurança dos catarinenses. Tendo em vista estes pontos apresentados, estamos abertos a perguntas sobre a segurança ou a conformidade na parte elétrica de seu condomínio.

Por isso, entre contato conosco para retirar suas dúvidas acerca da parte elétrica do seu condomínio. Além disso, caso sua dúvida não seja sanada, oferecemos para você leitor, um diagnóstico gratuito a fim de conseguirmos sanar suas necessidades da melhor forma.

Compartilha:

Geórgia Kumlehn
Geórgia Kumlehn
LinkedIn